Estou com problemas: quando buscar ajuda?

Percebo que muitas pessoas apresentam a dúvida de quando devem buscar por um profissional que trabalhe com o emocional.

Logo de saída, a decisão se torna difícil pois, muitas pessoas creem que o sofrimento psíquico é uma “frescura”, que todo mundo tem “problemas”, e o que falta é “força de vontade” para superar esta dificuldade.

 

MAS, DE QUE DIFICULDADE  ESTAMOS FALANDO?

Certamente há diferentes níveis de dificuldade, e, em sua grande maioria, as pessoas dão conta de superar as adversidades que surgem em seu dia-a-dia. Entretanto, há conflitos emocionais que interrompem nossa rotina, que tornam o simples viver quase insuportável, que nos privam de sono ou nos dão um sono incontrolável, que atrapalham nossa vida diária. Há sofrimento que não nos abandona em momento algum do nosso dia, e que fica povoando nosso pensamento na maior parte do tempo, e, nos faz chorar com muito mais frequência do que o que estamos acostumados.

Há preocupações e desconfortos internos que nos atrapalham a concentração tanto em nossas tarefas de trabalho, estudos, quanto em nossos momentos de lazer, não nos permitindo usufruir das alegrias que se nos apresentam. São dias que se seguem como se víssemos a vida sob a tonalidade cinza, como se o colorido nos tivesse abandonado. Não vemos graça em muitas das atividades que nos acostumamos a realizar, e parece que estamos com uma porta fechada para o futuro: o famoso “sem saída”!

 

RODANDO EM CÍRCULO:

Estes mesmos pensamentos rodam em círculo dentro de nossa cabeça, e a ansiedade, a angústia, parecem nos acompanhar a todos os lugares. Até que o desconforto não é mais só emocional, mas físico também.

 

O CORPO RECLAMA!

Muitas vezes, quando não conseguimos resolver o conflito que nos aflige, o corpo grita por nós. O corpo não se cala, ele fala sem parar, e, na maior parte das vezes, através de dores que podem ser musculares, articulares, etc. Isto nada mais é do que um grande alerta: estamos em sofrimento, e precisamos dar uma atenção especial ao que nos martiriza. Assim, já estamos sinalizando que não podemos dar conta sozinhos de nosso sofrimento, ansiedade, angústia. Estas questões ultrapassaram nossa capacidade de solução, e, como interferem no andamento normal de nossa vida, é um claro sinal de que precisamos de um profissional, e de que só um desabafo com amigos não mais está ajudando. Vale ressaltar que , quando a dor é física, faz-se necessário a busca por um médico que nos poderá dizer se aquilo tem relação ou não relação  com aspectos emocionais.

É comum que tenhamos o pensamento de que não estamos tão mal a ponto de precisar de um profissional de saúde mental, afinal, não temos um “Problema Mental”! Não sou maluco, não sou doente, sou como todo mundo: tenho problemas como todo mundo!

Sim, todo mundo tem problemas, mas alguns conseguem resolvê-los a contento, outros não. Alguns, em uma etapa de sua vida conseguem, sozinhos reencontrar o caminho a seguir, mas em outro momento, estão mais vulneráveis, e não conseguem redimensionar  o caminho para sair desta encruzilhada existencial .

Eis então que surge a dúvida: será que preciso de ajuda de um profissional? Meu Deus!! Não posso falar isto com ninguém, pois o que vão pensar de mim? Que sou fraco, que estou com besteiras na cabeça, que tenho tudo pra ser feliz, e o que  me falta é  “um tanque de roupa pra lavar”!

Temos sorte quando ultrapassamos todos estes pensamentos e nos aconselhamos com um amigo que sabemos irá compreender e não julgar meus atuais sentimentos. Mais sorte ainda, quando este amigo nos pode indicar um profissional para que possamos ter uma conversa franca e que nos poderá ajudar tecnicamente. Ou, pedimos ajuda de um médico clínico que nos poderá nos examinar e indicar que tipo de profissional nos poderá ajudar neste momento.

A dúvida pode surgir entre quem procurar: um psiquiatra ou um psicólogo? Os dois podem ajudar neste momento, e aí, as indicações de amigos que já se consultaram com um ou outro serão de fundamental importância, assim como um médico de confiança, nos pode também indicar um profissional sério e ético, que poderá nos auxiliar a entender este momento existencial que estamos vivenciando.

Como psicóloga, clinicando há mais de 43 anos, tenho encontrado pessoas com dificuldades diversas em meu consultório. A maior parte delas é normal como todo mundo, mas que passa por um período conturbado de vida. A maioria delas passa  por algum tipo de  luto. Ora por morte de pessoas queridas, ora por perdas na separação de uma relação afetiva. Há também os que estão em luto pela perda da juventude, ou da carreira que chegou ao fim, e que não sabem o que fazer com estes anos a mais que a Medicina nos deu. Há também o luto pela saúde perdida, e o enfrentamento de doenças dolorosas e assustadoras.

Para isto, a psicoterapia tem um lugar especial na vida destas pessoas e lhes pode em muito auxiliar a superar este difícil momento, através de uma  relação terapêutica empática , e de teorias e técnicas a serem empregadas, dependendo do profissional procurado.

Ao lado da psicoterapia, muitas vezes um medicamento se faz necessário, e assim, pode ser indicado o acompanhamento de um psiquiatra que disto cuidará. Costumo trabalhar com psiquiatras para quem indico alguns de meus pacientes, e juntos damos o apoio necessário a esta pessoa que me veio pedir uma importante ajuda.

Nestes anos todos de prática clínica, tenho tido o prazer de acompanhar vidas que se solucionam de uma forma melhor e mais harmônica, e de auxiliar pessoas que se viram amadurecer e superar dificuldades mediante os atendimentos psicoterápicos aos quais se submeteram junto comigo.

Acompanhei seres humanos que chegaram assustados e que finalizaram processos de forma  sorridentes; enlutados que conseguiram colocar a perda em seu devido lugar; idosos que refizeram seu Projeto Existencial e deram novo rumo a seus anos de Vida.

Enfim, vi muita chuva cair, muita tempestade chegar, mas vi também muito sol brilhar novamente. E agradeço a todos meus clientes as inúmeras oportunidades que me deram de aprender com seus viveres, com suas dores e alegrias, me fazendo um Ser Humano muito melhor hoje do que anos atrás.